A Indonésia libertou hoje o clérigo muçulmano radical e alegado mentor dos ataques terroristas de Bali de 2002 Abu Bakar Bashir, depois de cumprir a pena de prisão, anunciaram as autoridades.

O alegado mentor da série de ataques bombistas, que mataram 202 pessoas de mais de duas dúzias de nacionalidades, deixou a prisão Gunung Sindur, no sul de Jacarta, às 05:30 (22:30 de quinta-feira em Lisboa), sob escolta das forças antiterroristas indonésias, indicou, em comunicado, um porta-voz das autoridades penitenciárias Rika Apriandi.

Bashir, de 82 anos, que nega qualquer envolvimento nos atentados de Bali, foi condenado a 15 anos de prisão em 2011, por ter ajudado a financiar campos de treino extremistas na província indonésia de Aceh.

Contudo, as autoridades concederam-lhe várias reduções na pena, num total de 55 meses, o que lhe permitiu ser libertado mais cedo.

A libertação ocorreu nas primeiras horas do dia para evitar uma possível concentração de seguidores de Bashir, de acordo com a imprensa local.

Bashir é considerado o líder espiritual da Jemaa Islamiya, a ligação da Al-Qaeda no Sudeste Asiático e fundada em 1995 para criar um califado islâmico na Indonésia, na Malásia, em Singapura, no sul das Filipinas e na Tailândia.

Há cerca de um ano, o presidente da Indonésia, Joko Widodo, tinha anunciado há cerca um ano que o clérigo seria libertado antes do fim da pena por razões humanitárias, devido à idade avançada e saúde frágil.

/ CM