Em pleno crescimento do número de casos de Covid-19, o Brasil tem em curso uma epidemia de dengue, enquanto se prepara para o avanço da gripe e, ao mesmo tempo, luta para manter o controlo do sarampo.

É o que os especialistas chamam de “epidemias simultâneas”, o que está a gerar alerta no país.

Wanderson Oliveira, secretário de vigilância de saúde do Ministério de Saúde brasileiro, alertava no fim de Março:

Este ano, teremos o coronavírus, a influenza (gripe), e também o pico da dengue”.

Para este governante, a coincidência destas três epidemias, nalgumas regiões brasileiras, pode gerar o que chama de “tempestade perfeita”.

Wanderson Oliveira sugere: "Aproveitem que estão em casa e limpem o quintal, eliminem focos de dengue e vacinem-se conforme o calendário”

Dados do Ministério da Saúde do Brasil indicam que, enquanto a infeção pelo coronavírus ainda está em crescimento, com a epidemia em fase inicial, com sinais de “aceleração descontrolada” nalgumas regiões, doenças como o sarampo, dengue ou outras continuam a exigir a atenção do sistema de saúde.

A Secretaria de Saúde brasileira aponta para uma tendência de subida dos números de atendimento e internações por quadros graves, pressionando os recursos do sistema de saúde pública.

Teme-se que o sistema de saúde brasileiro possa entrar em sobrecarga e posterior rutura.

Rui Cordeiro