Pelo menos 15 pessoas morreram devido a um deslizamento de terras numa mina de ouro clandestina, no nordeste da Guiné-Conacri, anunciou o Presidente do país, Alpha Condé.

O Presidente informou, através das redes sociais, ter tido conhecimento “com tristeza, da morte de quinze pessoas em Tatakourou, na subprefeitura de Doko, prefeitura de Siguiri [nordeste do país], após um deslizamento de terras numa operação de mineração semi-industrial”.

Nestas circunstâncias dolorosas, apresento as minhas mais tristes condolências aos parentes enlutados e aos seus entes queridos e envio os meus melhores votos de uma rápida recuperação para os feridos", acrescentou o chefe de Estado.

O acidente ocorreu na manhã de sábado, quando uma parte dos terrenos da exploração colapsou, esmagando vários trabalhadores e encarcerando outros, avançou a agência EFE.

De manhã prosseguiam os trabalhos no local e as autoridades não descartam que possam ser encontradas mais vítimas.

Os acidentes em minas clandestinas são relativamente frequentes na Guiné-Conacri, país da África Ocidental que possui reservas de ouro, bauxita (matéria-prima para a produção de alumínio) e ferro, embora a maioria da população viva na pobreza.

Na área de Siguiri existem centenas de operações de mineração ilegais como a que esteve na origem deste acidente.

. / HCL