O chanceler austríaco, Sebastian Kurz, anunciou este sábado a demissão como chefe de Governo, na sequência da abertura de uma investigação por suspeitas de corrupção.

O anúncio surge dias dias depois de o seu escritório ter sido alvo de uma busca por parte dos promotores públicos que estão investigar Kurz e outros membros da sua equipa por suspeita de suborno e quebra de confiança.

Na terça-feira, os partidos de oposição ameaçaram apresentar um voto de censura contra o Governo, eleito em 2017.

"Quero abrir espaço para garantir a estabilidade", disse o chanceler de 35 anos, negando, contudo, todas as acusações e sublinhando que nunca usou dinheiro do governo para fins políticos próprios.

Para chefiar o Governo, Kurz sugeriu o actual ministro dos Negócios Estrangeiros, Alexander Schallenberg, um diplomata de carreira sem filiação partidária, e disse que irá passar para a liderança da bancada parlamentar do Partido Popular (ÖVP, conservador).

Redação / MJC