Chuvas intensas e apagões cortaram na quarta-feira o trânsito em várias zonas da capital da Venezuela, Caracas, onde ainda se registam esta quinta-feira falhas na ligação à internet e nas comunicações telefónicas.

As fortes chuvas apanharam desprevenidos os motoristas que ficaram com as viaturas paralisadas em várias localidades, inclusive na Autoestrada Francisco Fajardo (que une a cidade horizontalmente de um lado a outro), principalmente em Altamira (leste) e nas proximidades de Plaza Venezuela (centro-leste).

Por outro lado, o nível de água do Rio Guaire atingiu o nível máximo na localidade de Bello Monte (leste) e em vários outros setores da capital, não havendo no entanto registo de transborde.

Serviços de Proteção Civil foram mobilizados para algumas ruas da capital, principalmente no bairro de Altamira.

O Instituto Nacional de Meteorologia e Hidrologia (INAMEH) prevê que o mau tempo continue pelo menos nas próximas seis horas, com fortes chuvas, ventos e "atividade elétrica" (trovões e relâmpagos).

O mau tempo será mais intenso nas zonas de Los Andes, Centro Ocidente, Centro Norte Costeiro, nas planícies centrais e ocidentais do país, e nos Estados venezuelanos de Zúlia, Amazonas e Bolívar.

Na noite de quarta-feira estavam às escuras várias zonas do leste e oeste de Caracas, entre elas San Bernardino, La Candelária, El Hatillo, La Trinidad, Guaicay, La Bonita, Cáti, Propátria, Casalta a e Quinta Crespo.

Também El Valle (sul) e as localidades de Guarenas e Guatire (leste da capital) estavam às escuras, com os utilizadores a queixarem-se, através do Twitter, que estão há mais de oito dias sem água nas canalizações das casas.