Os socialistas do PSOE, com 120 deputados eleitos, menos três que os atuais, venceram as eleições legislativas deste domingo em Espanha, com 28% dos votos.

O segundo partido mais votado é o PP (direita) com 88 lugares (20,81%), seguindo-se o Vox, de extrema-direita, com 52 lugares (15,09%). Estes dois partidos registaram as maiores subidas, com o PP a conquistar mais 22 parlamentares e o Vox a mais do que duplicar a sua representação, que era de 24 deputados.

A coligação de extrema-esquerda Unidas Podemos perdeu lugares e votos, ficando com 35 deputados (tinha 42), o mesmo sucedendo com o Cidadãos, embora de forma mais expressiva, já que passou de terceira força política a sexta, elegendo apenas dez deputados (nas anteriores eleições elegeu 57).

A Esquerda Republicana da Catalunha (independentista) afirmou-se como quinto partido, elegendo 13 deputados.

A participação eleitoral foi de 69,96%.

Nas eleições de 28 de abril, os socialistas do PSOE tiveram 28,7% dos votos, seguidos pelo PP com 16,7%, o Cidadãos (direita liberal) com 15,9%, o Unidas Podemos (extrema-esquerda) com 14,3% e o Vox (extrema-direita) com 10,3%.

As eleições de hoje foram convocadas em setembro pelo Rei de Espanha, depois de constatar que o primeiro-ministro socialista em funções, Pedro Sánchez, não conseguiu reunir os apoios suficientes para voltar a ser investido no lugar na sequência das eleições de abril.

Bloco de partidos de direita aproxima-se do da esquerda

O bloco de partidos da esquerda espanhola formado pelo PSOE, Podemos e Mais País supera em seis deputados o de direita formado pelo PP, Vox e Cidadãos, mas ainda assim longe dos 176 necessários para obter maioria absoluta (parlamento tem 350 deputados).

Desta forma, os 120 assentos do PSOE (socialistas), mais os 35 do Unidas Podemos (extrema-esquerda) e os três do Mais País totalizariam 158 assentos, acima dos 152 que a soma dos 88 do PP (direita), 52 do Vox (extrema-direita), 10 do Cidadãos (direita liberal) e dois do Navarra Suma (coligação de direita naquela região que inclui o PP e Cidadãos).

O bloco de partidos de direita aproxima-se assim do de esquerda desde as eleições de abril, quando estavam separados por 16 lugares.

Em 28 de abril, a soma do PSOE e do Unidas Podemos foi de 165 e a dos três partidos de direita 149.

O resultado faz prever que continue a dificuldade para formar governo, com o primeiro-ministro em funções, Pedro Sánchez, enfraquecido com a ligeira diminuição do número de deputados do PSOE, de 123 para 120.

 
/ HMC/CM