A Alemanha vai levantar os avisos aos viajantes, em vigor há mais de um ano, para a maioria dos países, exceto os que registam elevados níveis de infeção por covid-19 ou forte incidência das novas variantes.

"Poderemos levantar o aviso geral aos viajantes para as zonas de risco cuja incidência [do novo coronavírus] em sete dias seja inferior a 200. Esta medida aplica-se a partir de 01 de julho e no mundo inteiro", anunciou o ministro dos Negócios Estrangeiros, Heiko Maas, em comunicado.

Esta medida simbólica vai facilitar a retomada das deslocações e da atividade turística neste verão.

Em numerosos locais, os números da infeção estão em baixa e cada vez mais cidadãos estão vacinados. Após longos meses de encerramento, podemos alegrar-nos por encontrar alguma normalidade, e isso vale também para as viagens", acrescentou o ministro, apelando, no entanto, à prudência e ao respeito das regras sanitárias.

O aviso e respetivas restrições continuam, no entanto, ativos para os países que ainda têm elevados níveis de infeção ou uma forte incidência das variantes do SARS-CoV-2, nomeadamente o Reino Unido e a Índia.

O levantamento do aviso não dispensa a obrigação de apresentar um teste negativo à covid-19, um certificado de vacinação ou qualquer outro requisito em vigor para as deslocações à partida da Alemanha.

A pandemia de provocou, pelo menos, 3.775.362 mortos no mundo, resultantes de mais de 174,7 milhões de casos de infeção, segundo um balanço feito pela agência francesa AFP.

Em Portugal, morreram 17.043 pessoas dos 855.432 casos de infeção confirmados, de acordo com o boletim mais recente da Direção-Geral da Saúde.

A doença é transmitida pelo novo coronavírus SARS-CoV-2, detetado no final de 2019, em Wuhan, uma cidade do centro da China.

/ HCL