A Alemanha registou esta quinta-feira um novo recorde de infeções por covid-19 desde o início da pandemia, com 50.196 casos detetados nas últimas 24 horas, anunciou o Instituto Robert Koch (RKI) de virologia.

Esta é a primeira vez que o país, que atravessa uma nova vaga de contágios, ultrapassa os 50 mil casos diários, depois de ter registado recordes sucessivos de contaminação nos últimos dias.

Nas últimas 24 horas, o país contabilizou ainda 235 mortes provocadas pela doença, segundo o RKI.

Na quarta-feira, a chanceler cessante, Angela Merkel, considerou a nova vaga de infeções "dramática".

"A pandemia está de novo a alastrar de forma espetacular", lamentou o seu porta-voz, apelando às autoridades sanitárias regionais para que tomem medidas para travar a propagação do vírus.

O surto é atribuído, em parte, à baixa taxa de vacinação no país, pouco mais de 67%.

Vários estados particularmente afetados, como a Saxónia, a Baviera e, mais recentemente, Berlim, introduziram novas restrições para pessoas não vacinadas.

A partir de segunda-feira, Berlim proibirá o acesso de pessoas não vacinadas a restaurantes sem esplanadas, bares, ginásios e cabeleireiros.

Um teste negativo deixará de permitir o acesso a estes locais, se os utilizadores não estiverem vacinados ou não apresentarem um certificado de recuperação da doença.

Desde o início da pandemia, quase 4,9 milhões de pessoas foram infetadas com o SARS-CoV-2 na Alemanha.

A quarta vaga de covid-19 na Alemanha surge num momento em que o país vive um contexto político difícil, com um Governo em gestão corrente desde as eleições legislativas de 26 de setembro, enquanto aguarda o resultado das negociações para uma nova coligação entre sociais-democratas, liberais e ecologistas verdes.

A covid-19 provocou pelo menos 5.062.911 mortes em todo o mundo, entre mais de 250,81 milhões infeções pelo novo coronavírus registadas desde o início da pandemia, segundo o mais recente balanço da agência France-Presse.

Em Portugal, desde março de 2020, morreram 18.222 pessoas e foram contabilizados 1.100.961 casos de infeção, segundo dados da Direção-Geral da Saúde.

A doença respiratória é provocada pelo coronavírus SARS-CoV-2, detetado no final de 2019 em Wuhan, cidade do centro da China, e atualmente com variantes identificadas em vários países.

/ BMA