Este domingo, de manhã, foi notícia que os extremistas do Estado Islâmico se retiraram do centro de Palmira, onde tinham voltado a entrar no sábado. O Observatório Sírio dos Direitos Humanos reportou esses desenvolvimentos, mas entretanto há outros: a cidade milenar foi capturada novamente.

O governador da província de Homs disse na televisão estatal que o Estado islâmico voltou a tomar as rédeas da antiga cidade já este domingo e que o exército está a lutar para recuperar o controlo. Talal Barazi é citado pela Reuters, depois de ter falado com a Ikhbariyah TV.
 
O exército está usando todos os meios para impedir que os terroristas fiquem em Palmira".

Antes disto, pela manhã, Rami Abdel Rahman, do observatório sírio, uma organização não-governamental (ONG), reportou o que aconteceu durante a noite.

Os raides violentos da aviação russa durante a noite sobre Palmira forçaram o Estado islâmico a sair de Palmira, horas depois de os 'jihadistas' terem reentrado na cidade".

Os ataques aéreos mataram combatentes do Estado Islâmico, acrescentou, sem avançar com um número.