A Bulgária anunciou esta sexta-feira a suspensão da administração de vacincas da AstraZeneca contra a covid-19. O anúncio surge após decisão semelhante da Dinamarca, da Noruega e da Islândia.

Na Ásia, a Tailândia também decretou esta sexta-feira uma paragem nas inoculações com o fármaco criado em conjunto com a Universidade de Oxford.

Cerca de 5 milhões de europeus já receberam a vacina AstraZeneca. Esta quinta-feira a Agência Europeia do Medicamento (EMA) afirmou que estava a investigar pelo menos 22 casos de trombose relacionados com a vacinação. Em causa, está o registo de casos de trombose em pessoas vacinadas com um lote específico - o ABV5300 - distribuído em 17 países da União Europeia.

A EMA explicou que não havia indicação de que a inoculação estava a provocar os coágulos sanguíneos, acrescentando que "os benefícios continuam a superar os riscos".

Na mesma linha, a AstraZeneca disse que a segurança do medicamento foi estudada extensivamente em ensaios clínicos. Outros países, incluindo Portugal, Austrália, México e Filipinas, decidiram manter a vacinação com o fármaco.

O ministério da Saúde da Tailândia disse que tomou a decisão porque o país não foi "duramente atingido" pelo vírus e tinha outras vacinas com as quais poderia contar durante a suspensão.