A polícia britânica confirmou esta sexta-feira que os restos mortais encontrados numa floresta em Kent, na última quarta-feira, pertencem a Sarah Everard. 

A mulher de 33 anos estava desaparecida desde dia 3 de março. Tinha sido vista pela última vez em Clapham, na zona Sul de Londres, enquanto saía da casa de um amigo.

Recorde-se foi detido um agente da Polícia Metropolitana por fortes suspeitas do sequestro e homicídio de Sarah. Wayne Couzens, tem cerca de 40 anos, foi hospitalizado na quinta-feira depois de ter sofrido ferimentos na cabeça enquando estava sozinha na cela. Entretanto, já regressou ao estabelecimento prisional. 

Também uma mulher de 30 anos, que se suspeita ser a companheira de Wayne, foi detida por suspeitas de ter participado no crime, mas mais tarde libertada sob fiança até abril. 

Sarah, trabalhadora na área de marketing, foi vista pela última vez em imagens de videovigilância. No vídeo, é vista a caminhar sozinha por uma estrada principal perto de Clapham às 21:30 horário local. Levava consigo um casaco verde, uns auscultadores de fio curto e um telemóvel.

Na altura em que foi lançada uma mega operação policial, o primeiro-ministro britânico Boris Johnson lamentou as notícias, dizendo que estava “chocado e profundamente triste com os desenvolvimentos na investigação”.

Cláudia Évora