A secretária de Estado do Ministério do Interior francês admitiu que o suspeito de ter matado pelo menos três pessoas e ferido 13 em Estrasburgo pode ter fugido para a Alemanha, mas recusou estabelecer uma motivação terrorista ao ataque.

Laurent Nunez disse à rádio France-Inter que o atacante poderia ter fugido para a vizinha Alemanha, sublinhando que a busca pelo autor dos disparos está em constante evolução.

Nunez afirmou ainda que o agressor havia sido identificado como um suspeito extremista nas passagens pela prisão, destacando que ainda se desconhece o motivo do ataque de terça-feira no Mercado de Natal de Estrasburgo, não sendo possível para já fazer uma ligação a um ato terrorista.

A governante adiantou que o indivíduo era conhecido da justiça pela prática de delitos comuns que não estavam relacionados com o terrorismo, indicando que este foi seguido pelos serviços de informação após se ter identificada "uma radicalização na sua prática religiosa", ainda que nunca tenha dado sinal de que poderia passar à ação.

O último balanço do ataque num Mercado de Natal em Estrasburgo, França, aponta para pelo menos três mortos, oito feridos graves e cinco ligeiros. No entanto, cerca das 9:30, a Câmara de Bas-Rhi tinha revisto em baixa o número de vítimas do ataque, situação que foi corrigida pouco depois.

O ministro dos Negócios Estrangeiros, Augusto Santos Silva, afirmou hoje não ter até ao momento informação de qualquer vítima portuguesa do ataque.

“A informação mais recente que os serviços consulares portugueses têm, de hoje do início da manhã, é de que até agora não há registo de nenhuma vítima portuguesa”, disse o ministro aos jornalistas à entrada para uma reunião com os parceiros sociais sobre o Conselho Europeu desta semana.

Santos Silva frisou contudo que “faltam apurar todas as informações” e há que “aguardar que todas [as vítimas] estejam identificadas”.

Esta manhã, também, o jornal The Nation, sediado em Banguecoque, confirmando um relato feito por uma testemunha à emissora inglesa BBC, noticiou que um turista tailandês é uma das vítimas mortais.

Anupong Suebsamarn, de 45 anos, morreu vítima de um disparo na cabeça quando caminhava com a sua esposa pelo Mercado de Natal da cidade francesa, segundo representantes de uma associação de tailandeses em França citados pelo mesmo jornal.

O casal chegara no dia anterior a Estrasburgo, onde hoje é aguardada a chegada do embaixador da Tailândia em França, segundo indicou àquela organização a esposa do falecido, quando se encontrava no hospital.

Um dispositivo de 350 elementos das forças policiais foi mobilizado para encontrar o autor do ataque e as manifestações foram proibidas até novo aviso em todo o território da comuna de Estrasburgo.

O homem tem 29 anos, nasceu em Estrasburgo e tem no seu cadastro condenações em França e na Alemanha.

O Ministério Público francês abriu uma investigação por homicídio e tentativa de homicídio relacionada com uma organização terrorista, assim como por associação terrorista.

O Governo francês elevou o nível de alerta no país para “emergência por atentado”, com um reforço de controlo nas fronteiras, aumento de segurança nos mercados de Natal e mobilização de meios envolvidos no dispositivo antiterrorismo.

A cidade de Estrasburgo, localizada no nordeste da França, junto à fronteira com a Alemanha, acolhe a sede do Parlamento Europeu.