A jornalista húngara, que em 2015 foi filmada a rasteirar e a pontapear refugiados, foi condenada, na quinta-feira, a três anos de pena suspensa, noticia a agência Reuters, que cita a imprensa da Hungria.

Petra Laszlo foi despedida da televisão N1TV no mesmo dia em que as imagens chegaram às redes sociais e correram mundo.

Em setembro de 2015, milhares de migrantes e refugiados, na maioria sírios, tentavam entrar na Hungria, para chegar a países como a Alemanha, através da fronteira com a Sérvia. A repórter de imagem foi filmada a pontapear, pelo menos, duas crianças e a rasteirar um homem que corria com o filho ao colo, e que acaba por cair ao chão.

De acordo com a imprensa húngara, Petra Laszlo foi condenada por conduta desordeira, numa audiência em que esteve presente por vídeo-conferência. A acusação não conseguiu provar que a arguida cometeu um crime de ódio racial.

A jornalista, que pouco depois das imagens terem sido divulgadas alegou ter tido um "ataque de pânico" vai recorrer da sentença.