Mario Draghi foi hoje empossado como primeiro-ministro de Itália pelo chefe de Estado, Sergio Mattarella, que o encarregou de formar governo após a crise desencadeada no decurso da renúncia ao cargo de Giuseppe Conte em 26 de janeiro.

“Juro ser fiel à República, cumprir com lealdade a Constituição e as leis e exercer minhas funções em prol do interesse exclusivo da nação”, declarou perante Sergio Mattarella no Palácio Romano Quirinale.

Depois de Draghi, ex-presidente do Banco Central Europeu (BCE), 23 ministros do seu governo começam a tomar posse, entre os quais reconhecidos técnicos que vão assumir pastas importantes como a Economia, Interior ou Transição Energética.

Draghi disse ter aceitado o convite do presidente italiano, Sergio Mattarella, para assumir o cargo de primeiro-ministro de Itália, depois de ter garantido o apoio de quase todos os partidos representados no Parlamento. 

O economista, de 73 anos, substitui Giuseppe Conte, que renunciou ao cargo depois de o partido Itália Viva, de Matteo Renzi, parceiro da coligação governamental, ter abandonado o governo, deixando-o sem maioria no parlamento.

Em 3 deste mês, Draghi aceitou, “embora com reservas”, a tarefa de formar um governo, após a demissão de Conte, nove dias antes, prudência que justificou por pretender constatar, primeiro, que apoios poderia obter para governar.

Costa deseja felicidades a Draghi e considera país “essencial para o futuro da Europa”

O primeiro-ministro português, António Costa, desejou as “maiores felicidades” ao seu novo homólogo italiano, Mario Draghi, considerando que o sucesso da Itália é “essencial para o futuro da Europa”.

Mario Draghi foi hoje empossado como primeiro-ministro de Itália pelo chefe de Estado, Sergio Mattarella, que o encarregou de formar governo após a crise desencadeada no decurso da renúncia ao cargo de Giuseppe Conte em 26 de janeiro.

Desejo as maiores felicidades a Mario Draghi. O sucesso da Itália é essencial para o sucesso da Europa. Portugal e Itália são países muito próximos. Trabalharemos juntos na construção de uma Europa com soluções solidárias e eficazes para os desafios que enfrentamos”, escreveu António Costa, numa publicação na rede social Twitter em português, inglês e italiano.

/ CM