A Rússia registou este sábado um novo recorde de mortes diárias pela covid-19, com 1.239 óbitos confirmados, segundo o centro operacional de luta contra o novo coronavírus, que assinalou também 39.256 novos contágios na sexta-feira.

Segundo a agência de notícias espanhola EFE, as maiores taxas de mortalidade verificaram-se em Moscovo (97 mortes), seguida de São Petersburgo (70) e da região de Moscovo (53).

O novo recorde de mortes diárias é o terceiro registado esta semana na Rússia, onde, de acordo com dados oficiais, desde o início da pandemia já morreram 254.167 pessoas de covid-19, embora as estatísticas oficiais sobre o excesso de mortes no mesmo período são quase o dobro.

As autoridades russas atribuem o forte aumento do número de mortes e de contágios à agressividade da variante delta, à falta de cumprimento rigoroso das regras sanitárias por parte de muitos cidadãos e, acima de tudo, à baixa taxa de vacinação no país.

Até ao momento, apenas cerca de 58 milhões de cidadãos têm a vacinação completa, o que faz com que a imunidade coletiva atinja somente 49% da população dos 80% que as autoridades pretendem.

Perante o agravamento da situação epidémica, o Governo enviou ao parlamento um projeto de lei que introduza a obrigatoriedade da utilização do passe sanitário nos locais públicos e nos transportes.

A iniciativa visa a atribuição de passes sanitários a pessoas vacinadas, que ultrapassaram a covid-19 e àquelas que tiveram recentemente teste de PCR negativo.

/ CE