Os Estados Unidos arrancaram esta segunda-feira a campanha de vacinação contra a covid-19. As primeiras doses da vacina da Pfizer foram dadas na cidade de Nova Iorque, onde a enfermeira Sandra Lindsay, dos cuidados intensivos de uma unidade hospitalar, foi a primeira a receber a injeção. Trata-se da maior campanha de vacinação da história daquele país.

O início da massiva campanha de vacinação pode marcar um ponto de viragem na luta contra o novo coronavírus, numa altura em que os Estados Unidos continuam a ser o país com mais casos e mortes relacionados com a doença.

A vacinação começou pouco depois das 09:00 locais (14:00 de Lisboa) no Centro Médico Judeu de Long Island, na zona de Queens. O estado de Nova Iorque é precisamente o mais afetado pelo vírus, tendo já matado mais de 35 mil pessoas.

Penso que esta é uma arma que vai acabar com a guerra", afirmou o governador do estado, Andrew Cuomo.

Momentos mais tarde, o presidente norte-americano, Donald Trump, confirmou que "a primeira vacina foi administrada".

A vacinação começa depois da aprovação do regulador, que autorizou o uso de emergência da vacina desenvolvida em parceria entre a Pfizer e a BioNTech.

Os Estados Unidos tornam-se assim no segundo país do Ocidente a começar a distribuição das vacinas, depois de o Reino Unido ter iniciado a campanha de vacinação a 8 de dezembro.

É esperada a administração de três milhões de doses da vacina até quarta-feira.

António Guimarães