Os bombeiros de Paris estão a combater um incêndio na catedral de Notre Dame, que estava a ser alvo de obras de restauro. Segundo a AFP, o fogo terá começado num andaime e o sótão da catedral foi de imediato tomado pelas chamas.

Segundo o porta-voz da catedral, o fogo começou cerca das 18:50 (hora local), cinco minutos após o encerramento do monumento, e o local teve de ser evacuado sem que houvesse feridos durante o processo.

"Toda a estrutura da catedral está a arder. Da moldura, que data do século XIX de um lado e do XIII do outro, não restará nada", acrescentou a mesma fonte.

De acordo com Laurent Nunez, secretário de Estado do Ministério do Interior, em conferência de imprensa, cerca de 400 elementos estão mobilizados no combate ao "violento incêndio". Durante o combate às chamas, um bombeiro ficou gravemente ferido.

Segundo os bombeiros, o incêndio propagou-se de forma muito rápida e rapidamente as chamas tomaram o sótão, tornando este num "fogo difícil" de combater. 

No local, parisienses, mas também turistas assistiram incrédulos ao incêndio, alguns deles em lágrimas, vendo nomeadamente a queda do pináculo da catedral que era o monumento mais visitado da Europa.

Estrutura está a "salvo e preservada"

Perto das 23:00 (hora local), chegou a notícia por que França aguardava. Depois de cerca de uma hora antes ter afirmado que não esta certo de que conseguissem salvar a catedral, Nunez afirmou aos jornalistas que o fogo baixou de intensidade e que a estrutura da catedral está "a salvo".

"A estrutura de Notre-Dame está a salvo. O fogo baixou de intensidade. Podemos pensar que a estrutura de Notre-Dame está salva, principalmente o campanário norte", afirmou o secretário de Estado.

Também o porta-voz dos bombeiros, em conferência de imprensa, corroborou a notícia que todos queriam ouvir, apesar do elevado estado de destruição do monumento.

“Podemos considerar que a estrutura de Notre-Dame está salva e preservada na sua globalidade”, disse Jean-Claude Gallet, comandante da brigada de bombeiros sapadores de Paris, acrescentando que "dois terços do teto foram destruídos pelo fogo".

Uma imagem captada por um drone da polícia mostra três quartos da catedral ainda a arder. A fotografia, partilhada no Twitter, por um jornalista da Radio France já foi repartilhada mais de seis mil vezes.

Por sua vez, o responsável pela comunicação da catedral, André Finot, afirmou que os trabalhos de recuperação de Notre-Dame estavam avaliados em 120 milhões de euros.

"Atirei-me de cabeça para conseguir patrocinadores. Há quatro ou cinco anos, o ministério da Cultura tinha financiado os trabalhos anti-incêndio", afirmou, acrescentando que o alarme para o incêndio soou às 18:30.

"Notre-Dame de Paris é a nossa história"

Emmanuel Macron cancelou a agenda e dirigiu-se de imediato para a Catedral, adiando o seu discurso "por causa do incêndio terrível que lavra na Notre-Dame de Paris", anunciou o gabinete do presidente francês.

"Notre-Dame de Paris em chamas. Emoção de uma nação inteira. Com o pensamento em todos os católicos e todos os franceses. Como todos os nossos compatriotas, estou triste por ver esta parte de nós arder", escreveu Macron.

O chefe de Estado chegou ao local cerca das 20:15 (hora local) acompanhado do primeiro-ministro francês, Edouard Philippe, e o presidente da Assembleia Nacional, Richard Ferrand.

Ao final da noite, em declarações aos jornalistas, Emmanuel Macron garantiu que a catedral, que "faz parte de todos os franceses", "vai ser reconstruída". 

"Esta catedral, vamos reconstruí-la juntos. Notre-Dame de Paris é a nossa história, a nossa literatura, é o epicentro da nossa vida. É a catedral de todos os franceses mesmo daqueles que nunca entraram. Esta história é nossa. Eu quero ter um pensamento e agradecer aos bombeiros. Mais de 500 deles terão lutado contra as chamas e vão fazê-lo novamente por vários dias come xtrema coragem e um grande profissionalismo e muita determinação. Quero-lhes passar o agradecimento de toda a nação", afirmou.

Investigação em curso

As causas do incêndio estão a ser investigadas pela Procuradoria de Paris, sendo que as autoridades suspeitam que o fogo esteja ligado aos trabalhos de recuperação da catedral.

"Uma sala de crise foi aberta no momento na câmara de Paris", afirma Colombe Brossel, vice-presidente de Paris.

De acordo com o Le Figaro, por causa dos trabalhos de recuperação, 16 estátuas foram retiradas do pináculo que colapsou a 11 de abril para serem restauradas. As estátuas, com mais de 250 quilos, foram levadas para Périgueux, Dordogne, onde deveriam ser restauradas antes de voltar para a torre, em 2022.

Segundo o reitor da catedral de Notre-Dame de Paris, também estão a salvo o fragmento da coroa de espinhos com a qual Cristo terá sido coroado pelos soldados romanos e a túnica de Saint-Louis.

A catedral de Notre-Dame é o monumento histórico mais visitado da Europa. Foi edificada em 1163 e iniciou a função religiosa em 1182, embora os trabalhos de construção tenham prosseguido até 1345.