A opositora e antiga primeira-ministra da Moldávia Maia Sandu ganhou a segunda volta das presidenciais de domingo, anunciou esta segunda-feira a Comissão Eleitoral Central (CEC).

Sandu, de 48 anos, líder do partido europeísta Ação e Solidariedade (PAS), obteve 57,61% dos votos, quando estão contados 99,77% dos boletins, indicou. A líder da oposição prometeu tirar a Moldávia do isolamento e aproximá-la da UE.

O atual Presidente da Moldávia, Igor Dodon, conseguiu 42,93% dos votos, acrescentou.

De acordo com dados preliminares, a taxa de participação na segunda volta das eleições presidenciais moldavas foi de 52% dos 3,2 milhões de eleitores recenseados no país, uma antiga república soviética encravada entre a Ucrânia e a Roménia.

Os meios de comunicação locais noticiaram, ao longo do dia, uma mobilização sem precedentes dos emigrantes moldavos, cujo voto foi essencial para a vitória de Sandu na primeira volta das presidenciais, em 01 de novembro.

E acrescentaram que em alguns locais de voto em outros países, os boletins de voto foram insuficientes devido à participação eleitoral, como aconteceu em assembleias de voto em Londres, Frankfurt ou Paris.

“Os nossos cidadãos mostraram hoje que não importa quão longe estão, pois interessam-se com o que acontece em casa”, destacou Sandu, após o encerramento das secções de voto na Moldávia.

Já Igor Dodon, após o fecho das urnas, apelou à calma tanto de apoiantes, como aos que votaram na rival.

Os dois candidatos apontaram irregularidades durante o dia de eleições e prometeram analisar esta situação nos próximos dias.

A CEC moldava descartou a existência de irregularidades durante as eleições capazes de influenciar o resultado da votação.

/ LF