O número de feridos em Macau subiu de 17 para 40 em resultado do tufão Mangkhut que atingiu este fim de semana o território, anunciaram esta segunda-feira em comunicado as autoridades.

O Centro Hospitalar Conde de São Januário, o Hospital Kiang Wu e os centros de saúde receberam um total de 40 feridos, 28 de sexo masculino e 12 de sexo feminino.

As vítimas do tufão têm idades compreendidas entre os dois e os 87 anos. Entre os feridos, 32 são residentes locais, sete do interior da China e um, uma mulher de 31 anos, é natural da Indonésia.

As vítimas apresentavam ferimentos que vão desde cortes a fraturas.

O ferido grave, de 87 anos, sofreu uma fratura do fémur direito devido a uma queda. Dez dos casos apresentaram um quadro clínico “moderado” e as outras 29 pessoas sofreram ferimentos ligeiros.

Um indivíduo encontra-se hospitalizado no Centro Hospitalar Conde de São Januário, quatro no Hospital Kiang Wu para observação e tratamento, sendo que os restantes feridos já tiveram alta hospitalar.

580 profissionais

Durante a passagem do tufão Mangkhut, que obrigou à emissão do sinal 10 de tempestade tropical, o alerta máximo, os serviços de saúde de Macau mobilizaram 580 profissionais que, durante 26 horas, providenciaram atendimento médico de emergência, prestação de cuidados normais de saúde (incluindo o Posto de Urgência das Ilhas) e internamento hospitalar.

À exceção do Centro de Saúde do Porto Interior e do Posto de Saúde para os Idosos na Rua de Ponte Negra, que estiveram encerrados, os demais centros e postos de saúde estiveram abertos para dar resposta às situações de emergência.

As autoridades de Macau suspenderam hoje, pelas 18:00 (11:00 em Lisboa), todos os sinais de alerta de tempestade tropical, num momento em que o tufão Mangkhut se encontra a cerca de 740 quilómetros do território.

No domingo, o sinal 10 de tempestade tropical, o máximo de uma escala com 1, 3, 8 e 9, esteve em vigor durante nove horas, o mais longo período registado desde 1968.

As autoridades já tinham cancelado às 23:00 de domingo (16:00 em Lisboa) os alertas de "storm surge" (maré de tempestade).

No ano passado, o tufão Hato, apesar de se caracterizar pela mesma intensidade do Mangkhut, tinha feito dez mortos e 240 feridos em Macau.

Até às 18:00 locais (11:00 em Lisboa), foram registados 573 incidentes em Macau, segundo o Centro de Operações da Proteção Civil (COPC).

Em comunicado, o COPC indicou que a maioria dos casos diz respeito à queda de reclamos, toldos, janelas e outros objetos (255), danos em construção (61), queda de árvores (58), queda de andaimes (24), inundações (26), suspensão/queda de cabos de eletricidade (20), deslizamento de terras (2), incidentes na via pública (6) e incidentes marítimos (2).