A Alemanha voltou a registar novos máximos diários de covid-19, desde o início da pandemia, de acordo o Instituto Robert Koch (RKI) de virologia, que avança com um recorde de 52.826 novos casos.

Segundo as autoridades de saúde alemãs, os casos das últimas 24 horas comparam com os 39.676 de há uma semana.

A incidência registou também um novo pico, com 319,5 novas infeções por 100.000 habitantes, comparando com os 312,4 de terça-feira, 232,1 na semana passada e 66,1 no mês anterior.

A Alemanha tem registado máximos de novas infeções e incidência desde 4 de novembro.

As mortes aumentaram para 294, em comparação com 236 da semana anterior, e o número de casos ativos é de 490.800.

O número máximo de mortes foi registado a 14 de janeiro, no meio da segunda vaga da pandemia na Alemanha e da campanha de vacinação, com 1.244 óbitos.

De acordo com o último relatório diário do RKI, publicado na tarde de terça-feira, foram registadas mais 1.333 hospitalizações na segunda-feira, quando se registou uma taxa cumulativa de internamentos a sete dias de 4,86/100.000 habitantes.

O número máximo de internamentos foi registado próximo do último Natal, com uma taxa acumulada de 15,5.

Na segunda-feira, o número de pacientes com covid-19 nas unidades de cuidados intensivos era de 3.190 (mais 156), o que corresponde a uma ocupação de 14,4% das camas disponíveis em unidades críticas para a população adulta.

A taxa de vacinação mantém-se à volta dos 70%. Até segunda-feira, 70,1% da população da Alemanha tinha sido vacinada, mas apenas 67,6% tem a vacinação completa.

/ CM