O presidente francês, Emmanuel Macron, está infetado com covid-19, revelou esta quinta-feira a presidência francesa. Macron tem sintomas e irá agora permanecer em isolamento, segundo o Eliseu, e continuar a trabalhar remotamente, tendo cancelado uma deslocação ao Líbano. 

De acordo com as recomendações sanitárias em vigor aplicáveis a todos, o presidente da República irá isolar-se durante sete dias. Continuará a trabalhar e a assegurar as atividades à distância", precisa o comunicado divulgado esta quinta-feira pela presidência francesa. 

Macron esteve ontem, quarta-feira, com o primeiro-ministro português, António Costa.

Costa esteve na capital francesa para um almoço de trabalho com a preparação da presidência portuguesa da União Europeia como tema principal.

O encontro no Palácio do Eliseu era o único ponto na agenda do primeiro-ministro nesta deslocação a França. António Costa já foi testado esta quinta-feira, ainda que o despiste à covid-19 já estivesse programado uma vez que o chefe de Governo deveria viajar na sexta-feira, dia 18, para São Tomé e Príncipe, seguindo depois em vista oficial para a Guiné-Bissau.

O primeiro-ministro português decidiu entretanto cancelar as suas visitas oficiais a São Tomé e Príncipe e Guiné-Bissau, entre sexta-feira e domingo, tendo participado esta quinta-feira de manhã por videoconferência numa reunião sobre o Plano de Vacinação de combate à covid-19 com o coordenador da task force. Vai ficar em isolamento profilático até que o grau de risco seja avaliado pelas autoridades de saúde mas, segundo comunicado do gabinete, não tem quaisquer sintomas de covid-19. 

Também o primeiro-ministro espanhol, Pedro Sánchez, vai suspender a agenda nos próximos dias e ficar em quarentena até dia 24 de dezembro, depois de ter almoçado com Emmanuel Macron na passada segunda-feira. Sánchez tinha previsto assitir esta quinta-feira a uma homenagem juntamente com o rei de Espanha mas não retomará qualquer ato público até à véspera de Natal. Entretanto, já fez teste de despiste que teve resultado negativo, mas vai manter a quarentena. 

E, apesar de não ser considerado contacto próximo pelas autoridades de saúde, também o presidente do Conselho Europeu, o belga Charles Michel,vai isolar-se por precaução, depois de ter estado com Macron na passada segunda-feira, informou fonte de Bruxelas. Michel fez na terça-feira um teste com resultado negativo para covid-19.

Já em França, o primeiro-ministro Jean Castex está em isolamento por ser contacto de Emmanuel Macron, e foi substituído pelo ministro da Saúde na apresentação ao senado da estratégia de vacinação contra a covid-19 do governo francês. Será testado esta quinta-feira, apesar de não manifestar sintomas, revela fonte do gabinete de Castex.

A imprensa francesa garante que Emmanuel Macron tem feito testes para despistar a covid-19 em várias ocasiões desde o início da epidemia, e que até esta quinta-feira nunca tinha tido teste positivo. A primeira-dama, por sua vez, já tinha estado em contacto com um infetado, mas até à data nenhum dos dois fora infetado com o novo coronavírus. 

Bárbara Cruz / Com Lusa - atualizada às 11.30