Morreu Barbara Bush, a antiga primeira-dama dos EUA. A causa da morte não foi revelada no texto que o porta-voz da família, Jim McGrath, distribuiu à imprensa norte-americana.

Barbara Bush, que morreu aos 92 anos, foi a segunda norte-americana que viu o marido e o filho como presidente dos Estados Unidos. Casada com George Bush, que foi chefe de Estado de 1989 a 1993, Barbara Bush era mãe do antigo Presidente George W. Bush, no poder de 2001 a 2009.

Na segunda-feira, um porta-voz da família tinha anunciado que a antiga primeira-dama dos Estados Unidos tinha decidido recusar novos tratamentos médicos, apesar do estado de "saúde debilitado".

"Após uma recente série de hospitalizações, e depois de consultar médicos e família, Barbara Bush, agora com 92 anos, decidiu deixar de procurar tratamentos médicos adicionais", disse o porta-voz Jim McGrath, em comunicado à imprensa.

"Quem a conhece sabe que tem enfrentado como uma 'pedra' os seus problemas de saúde, mas este é preocupante", disse McGrath, sem mais pormenores.

Barbara Bush sofria há décadas da doença de Graves, ou bócio difuso, um problema na tiróide. Em 2009, foi operada ao coração devido a um problema numa válvula cardíaca. Um ano antes tinha sido hospitalizada para uma intervenção cirúrgica a uma úlcera perfurada.

A administração norte-americana vai colocar as bandeiras a meia haste em homenagem à antiga primeira-dama Barbara Bush, que morreu aos 92 anos, foi hoje anunciado.

De acordo com o Presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, as bandeiras devem permanecer a meia haste até ao final das cerimónias fúnebres, marcadas para o próximo sábado, em Houston, no estado do Texas.

O corpo de Barbara Bush irá estar, durante a sexta-feira, em câmara-ardente "para que o público lhe possa prestar a devida homenagem", indicou o site da Fundação da Biblioteca e Museu George H. W. Bush.

Vários políticos norte-americanos manifestaram pesar pela morte da antiga primeira-dama Barbara Bush, e destacaram o seu papel em defesa da alfabetização da população dos Estados Unidos.

O atual Presidente Donald Trump reforçou o papel da antiga primeira-dama na alfabetização das famílias norte-americanas, que considerou ser a sua “maior conquista”.

“[Barbara Bush] será lembrada pela sua devoção ao país e à família, que serviu infalivelmente bem”, disse.

Os anteriores ocupantes da Casa Branca, Barack e Michelle Obama, recordaram uma “mulher dedicada ao serviço público”.

"Estamos gratos pela forma como nos tratou durante os anos em que estivemos na Casa Branca, mas ainda mais agradecidos pela forma como viveu a sua vida, provando que o serviço público é nobre e importante", disse o casal Obama.

Bill e Hillary Clinton manifestaram também o seu pesar, lembrando uma mulher com "coragem, graça, cérebro e beleza".

Barbara Bush "era feroz e resoluta", uma mulher viveu uma "vida honesta, vibrante e plena", consideraram.

O filho e ex-Presidente norte-americano George W. Bush declarou que a mãe foi “uma primeira-dama e uma mulher diferente de qualquer outra, que trouxe amor, leveza e alfabetização a milhões de pessoas”.

Jeb Bush, um dos seis filhos de Barbara e antigo governador da Florida e pré-candidato presidencial em 2016, sublinhou a “vida notável” da mãe, uma mulher “graciosa, divertida, carinhosa e inteligente”.