As autoridades vão investigar a hipótese de o incêndio na Catedral de Nantes, em França, ter sido um ato criminoso, uma vez que foram identificados três pontos distintos de fogo, anunciou este sábado o Procurador da República local.

Foi aberta uma investigação por incêndio voluntário. Ainda não é possível tirar conclusões, porque são precisas muitas investigações que poderão trazer novos elementos”, afirmou Pierre Sennès, procurador de Nantes, citado pela agência de notícias France Presse.

O incêndio já está circunscrito, tendo destruído o órgão da igreja, segundo as autoridades locais que sublinham que os estragos não são comparáveis ao fogo da Notre-Dame, em Paris, em 2019.

Os estragos estão concentrados no órgão que está completamente destruído. A plataforma sobre a qual se situa está muito instável e ameaça ruir”, afirmou o responsável dos bombeiros, Laurent Ferlay, numa conferência de imprensa que se realizou junto à igreja.
 

Quando se chega a um incêndio, e se vê três pontos de fogo distintos é uma questão de bom senso abrir um inquérito”, explicou Pierre Sennès, acrescentando que não se pode deixar um acontecimento como o ocorrido esta manhã sem investigação judicial.

A polícia judiciária francesa assim como um especialista em incêndios do laboratório técnico e científico de Paris vão viajar até Nantes para avaliar o local, acrescentou o procurador.

Os bombeiros foram alertados para o incêndio às 07:44 (às 06:44 em Lisboa) e por volta das 10:00 (09:00 em Lisboa) estavam no local 60 elementos a combater as chamas.

A catedral já tinha sido alvo de um incêndio em 1972, cujos trabalhos de recuperação terminaram em 1985, segundo informações da France Presse.

/ CE - Notícia atualizada às 12:47