Depois de ter sido suspensa a retirada da população da zona oriental de Alepo o exército sírio já conseguiu fazer circular cinco autocarros nas últimas horas, anunciou o Observatório Sírio para os Direitos Humanos.

Estes são os primeiros meios a percorrer a região depois de ter sido interrompida a missão, apesar do acordo entre o governo de Damasco e os rebeldes sírios.

A evacuação foi assim retomada depois de três dias de interrupções, confirmou fonte da ONU à Reuters.

A evacuação está ativa. Autocarros e ambulâncias estão agora a deixar Alepo", revelou a mesma fonte, adiantando que as primeiras pessoas saíram da cidade às 21:00 (hora de Lisboa).
 

Também a Cruz Vermelha anunciou, através do Twitter, que cinco autocarros e uma ambulância estavam a ser escoltadas a este de Alepo.

Temos esperança que a operação decorra suavemente", pode ler-se no Twitter.      

Os autocarros chegaram a entrar em Alepo oriental esta manhã, mas tudo parou quando se soube que a evacuação das aldeias xiitas de Fua e Kefraya tinha sido mais uma vez bloqueada. No ataque, pelo menos cinco dos autocarros que iam retirar habitantes dessas aldeias foram incendiados por membros de um grupo rebelde. 

A evacuação de Alepo, lançada na quinta-feira, deveria durar vários dias e, uma vez terminada, permitir ao regime de Bashar al-Assad proclamar a retomada total da cidade, registando assim a sua mais importante vitória desde o início da guerra, em 2011.

Mas na sexta-feira, a saída de civis e combatentes dos últimos bairros rebeldes da cidade foi suspensa pelo regime. Segundo a televisão estatal síria, a suspensão terá sido motivada pela intenção dos rebeldes deixarem Alepo com reféns.