O México anunciou, nesta quinta-feira, que extraditou o barão da droga Joaquín Guzmán, mais conhecido por "El Chapo", para os Estados Unidos. O anúncio foi feito pelo ministro dos Negócios Estrangeiros mexicano, de acordo com as agências de notícias internacionais.

"El Chapo", chefe do cartel de Sinaloa, e um dos mais poderosos narcotraficantes do mundo, era requerido pela justiça norte-americana, nomeadamente pelos tribunais do Texas e da Califórnia, que pediam a extradição do mexicano por tráfico de droga e também por homicídio. No caso do Texas pode enfrentar a pena de morte. 

Foi entregue às autoridades norte-americanas depois de o Tribunal Superior do México ter recusado os recursos interpostos pelo seu advogado, nos quais o narcotraficante se opunha à extradição, anunciaram as autoridades mexicanas, em comunicado.

O barão da droga mexicano estava detido desde janeiro numa prisão de alta segurança em Juarez, depois de uma aparatosa fuga da prisão que correu mundo.

Os Estados Unidos já confirmaram que "El Chapo" já está sob custódia norte-americana e que vai agora ser transportado para Nova Iorque, desconhecendo-se mais detalhes da operação.

Catarina Machado