Pelo menos 66 pessoas morreram e 76 ficaram feridas na sequência de uma explosão num oleoduto da empresa estatal Petróleos Mexicanos (Pemex) que provocou um incêndio de grandes dimensões num oleoduto no centro do México, anunciaram as autoridades mexicanas este sábado. O anterior balanço dava conta de 20 vítimas mortais.

"O saldo que temos até ao momento do incêndio em Tlahuelilpan é de 66 mortos e 76 feridos que estão a ser assistidos em vários hospitais", escreveu o governador do estado mexicano de Hidalgo, Omar Fayad, no Twitter.

Entre as vítimas, há dois adolescentes de 15 anos e uma criança de dois anos, segundo a agência noticiosa espanhola EFE.

O acidente ocorreu no final da tarde de sexta-feira, no município de Tlahuelilpan, quando dezenas de pessoas aproveitavam um derrame no local para transportar o combustível em baldes.

“Foi-nos comunicado este trágico acidente, em que há muitas pessoas queimadas, que estavam no local a tentar recolher combustível que escapou por um derrame", explicou o governador Omar Fayad, numa entrevista aos canais de televisão "Milenio" e "Foro TV".

Muitos dos feridos sofreram queimaduras graves e existe o temor que haja mais corpos carbonizados perto do oleoduto.

O autarca do município, Juan Pedro Cruz, disse aos jornalistas locais que o derrame teve início às 17:00 (horário local, 00:00 em Lisboa).

Militares do exército tentaram isolar a área, mas não conseguiram controlar as cerca de 200 pessoas que tinham invadido o local para apanhar o combustível.

Já de acordo com a agência Associated Press, o oleoduto terá explodido horas depois de um grupo ter invadido o local e perfurado ilegalmente uma torneira.

O Presidente mexicano, Andres Manuel Lopez Obrador, declarou uma ofensiva contra o roubo de combustível e convocou todos os setores do Governo para prestar assistência às vítimas.