O regulador de saúde francês anunciou esta sexta-feira que o país vai apenas administrar a vacina da AstraZeneca a pessoas com idade superior a 55 anos.

A decisão surge após a garantia da Agência Europeia do Medicamento de que a vacina contra a covid-19 criada em parceria com a Universidade de Oxford é "segura e eficaz".

O anúncio da Haute Autorite de Sante vem cerca de um mês após a decisão de que a vacina da AstraZeneca seria apenas administrada a pessoas com idade inferior a 65 anos.

O regulador disse que a recomendação baseia-se no facto de o registo de eventos tromboembólicos após a vacinação terem apenas sido verificados em pessoas com menos de 55 anos.

De resto, o uso da vacina da AstraZeneca em França deve ser retomada "sem qualquer atraso".

O próprio primeiro-ministro francês Jean Castex, que tem 55 anos, foi filmado a receber a vacina da AstraZeneca, numa tentativa de impulsionar a confiança pública no fármaco.

A recomendação acontece um dia após Castex ter anunciado que a região parisiense e outros departamentos em França vão entrar em confinamento total a partir de sexta-feira, deixando de ser possível viajar para outras regiões do país, mas creches e escolas continuam abertas.

O confinamento ao fim de semana já aplicado na região dos Alpes Marítimos e Pas-de-Calais em vigor há alguma semanas teve um efeito real, mas é insuficiente para travar a dinâmica da epidemia, que se acelera", disse hoje o primeiro-ministro francês, Jean-Castex, em conferência de imprensa.

Assim, a região de Paris e outros departamentos nas suas imediações, totalizando 16 territórios, vão passar a um confinamento total que deve durar pelo menos quatro semanas. Esse será o tempo para controlar a evolução do vírus nestes departamentos onde os hospitais estão a atingir níveis de saturação.

Todos os comércios não essenciais vão encerrar, será possível sair de casa para atividades ao ar livre durante o dia mas com uma justificação e as aglomerações nos espaços públicos não são possíveis. Também não vai ser possível aos cidadãos nos departamentos afetados deslocarem-se para outras regiões.