Israel fechou esta noite os corredores com a Faixa de Gaza e a Cisjordânia, um encerramento que manterá por oito dias, para a celebração da Páscoa judaica, que começa hoje e termina à meia-noite de 27 de abril.

“Os acessos a Gaza e à Cisjordânia só estarão abertos para os palestinianos sob circunstâncias especiais e fins humanitários”, disse à agência Efe uma porta-voz do Exército israelita.

O encerramento imposto à Faixa de Gaza e ao território palestiniano ocupado da Cisjordânia significa que a entrada em Israel está proibida para todos os palestinianos que tenham autorizações emitidas por Israel, exceto os casos de emergência humanitária ou médica.

Israel controla todas as fronteiras dos territórios palestinianos – exceto o cruzamento de Rafah entre Gaza e o Egito – e só fecha as passagens em momentos de grande conflitualidade ou para celebrações judaicas, como a Páscoa, o Purim ou o dia mais sagrado para o judaísmo, o Dia do Perdão ou Yom Kipur.