A Alemanha registou nas ultimas 24 horas 770 casos de covid-19, para um total de 188.534, a maior subida desde inicio de junho, mas mantém a taxa de contágio pelo coronavirus responsável pela doenças abaixo de 1, em 0,86.

De acordo com o Instituto Robert Koch (RKI) são agora 8.872 as vítimas mortais, um aumento de 16 em relação ao dia anterior. O número de casos considerados curados cresceu 400 para aproximadamente 174.400.

O governo da Renânia do Norte-Vestefália, a segunda região com o maior número de casos (40.156), e a terceira com um registo mais elevado de óbitos (1.660), vai abrir uma investigação para apurar as causas de um novo surto num matadouro que provocou, até ao momento, 750 contágios.

O objetivo, sublinhou o ministro da Saúde deste estado-federado, Karl-Josef Laumann, é averiguar o que provocou as infeções “do ponto de vista epidemiológico” para assim conseguir “precisar de que forma surgem novos surtos na indústria da carne”.

Este caso, na empresa Tönnies, na localidade de Gütersloh, não é inédito e levou o governo federal a impor regras mais rígidas de segurança e a proibir a subcontratação. Devido ao número elevado de casos nesta localidade, as escolas e jardins-de-infância voltaram a fechar.

A pandemia de covid-19 já provocou mais de 450 mil mortos e infetou mais de 8,4 milhões de pessoas em 196 países e territórios, segundo um balanço feito pela agência francesa AFP.

Em Portugal, morreram 1.524 pessoas das 38.089 confirmadas como infetadas, de acordo com o boletim mais recente da Direção-Geral da Saúde.

A doença é transmitida por um novo coronavírus detetado no final de dezembro, em Wuhan, uma cidade do centro da China.

Depois de a Europa ter sucedido à China como centro da pandemia em fevereiro, o continente americano é agora o que tem mais casos confirmados e mais mortes.

/ AM