Um sismo de magnitude de 5,1 na escala de Richter sacudiu esta sexta-feira a capital da Grécia, Atenas, divulgou o Centro Sismológico Euro-Mediterrâneo.

Segundo as agências internacionais de notícias, que fotografaram este momento, várias pessoas fugiram para a rua.

Foram, também, sentidas três réplicas.

A BBC diz que há registo de antenas de telecomunicações derrubadas, mas a única confirmação oficial é a existência de falhas de energia na cidade e também problemas nas comunicações, mas neste último caso devido à sobrecarga da rede.

Não há, até ao momento, registo de vítimas mortais ou feridos graves, nem danos em edifícios habitados, segundo as autoridades gregas.

As autoridades vistoriaram já as áreas próximas do epicentro, tanto por meios aéreos como através de patrulhas terrestres, mas não há registo de mortos ou danos avultados.

O porta-voz do governo, Stelios Petsas, disse que um prédio abandonado colapsou e que há danos em mais edifícios abandonados.

"Não há notícias de feridos graves. Peço às pessoas para se manterem calmas, porque na Grécia estamos familiarizados com sismos", afirmou.

Os bombeiros receberam vários pedidos de ajuda de pessoas que ficaram presas em elevadores.

O abalo, que ocorreu às 14:13 locais (12:13 em Lisboa), foi registado a 13 quilómetros de profundidade e a 22 quilómetros a noroeste de Atenas. 

Segundo a Reuters, testemunhas descrevem o sismo como "forte, mas não muito longo", como pode ver-se num dos vídeos partilhados nas redes sociais.

Foi sentido em toda a região da Ática, que engloba a cidade de Atenas e onde vive quase metade da população do país.

Segundo a emissora estatal EPT, que cita um especialista, o epicentro ocorreu na mesma região do terramoto de 1999, o mais poderoso sismo a atingir a Grécia e em que morreram mais de uma centena de pessoas.