A União Europeia chegou a acordo, na última madrugada, em Bruxelas, para a futura proibição a partir de 2021 de alguns plásticos de utilização única como cotonetes, palhinhas e talheres de plástico. O objetivo é reduzir a poluição marítima.

O lixo marítimo é um problema global cada vez maior”.

É o que se constata no comunicado do Conselho de Ministros do Ambiente da UE que sublinha ainda que, se nada for feito, em 2050 haverá mais plásticos do que peixes no mar.

O acordo alcançado necessita ainda de ser formalmente ratificado pelos Estados-membros e pelo Parlamento Europeu. Espera-se que o processo esteja concluído até à primavera de 2019 e possa entrar em vigor em 2021.

A proposta apresentada pela Comissão Europeia em maio prevê a proibição de categorias de produtos que representam 70% dos detritos que poluem oceanos e praias.

Em outubro, o PE aprovou a proposta de Bruxelas, estipulando que em relação a outros produtos de plástico de utilização única, os Estados-membros devem tomar as medidas necessárias para obter uma redução ambiciosa e sustentada de pelo menos 25% até 2025.

Nesta categoria incluem-se caixas para hambúrgueres, sanduíches e saladas, bem como recipientes para frutos, legumes, sobremesas ou gelados.

Os 28 terão ainda de assegurar a recolha seletiva e a subsequente reciclagem de pelo menos 90% das garrafas de plástico descartáveis até 2025.

Veja também: