A Suíça anunciou este sábado a aprovação da vacina contra a covid-19 desenvolvida pela Pfizer em parceria com a BioNTech. Segundo a Swissmedic, entidade responsável pela aprovação de produtos de saúde no país, a vacina é "segura e os benefícios excedem os riscos".

Segundo os dados avaliados pela Agência Suíça para Produtos Terapêuticos, a vacina confere uma proteção de 90% sete dias depois de ser tomada a segunda dose.

Dois meses depois de ter recebido a candidatura a Swissmedic garante a aprovação da vacina contra a covid-19 BNT162b2 baseando-se numa cuidadosa revisão dos documentos e nos desenvolvimentos observados. Os dados disponíveis à data mostram um alto nível de efetividade em todas as faixas etárias e chegou a resultados seguros", afirma o comunicado.

O director da Swissmedic ressalva que existe sempre um pré-requisito para a aprovação de vacinas: "Graças ao processo que desenvolvemos e à flexibilidade da nossa equipa, estamos prontos para tomar decisões, baseando-nos nos requisitos de segurança, eficácia e qualidade", afirmou Raimund Bruhin.

A vacinação é recomendada para pessoas maiores de 16 anos e deve seguir as recomendações feitas pelo governo. A vacina da Pfizer requer a toma de duas injeções espaçadas entre 21 dias.

A Swissmedic afirma que desde o início da pandemia se preparou "intensivamente" para autorizar uma vacina contra a covid-19. O regulador acrescenta ainda que vai manter-se atento ao desenvolvimento da vacinação e que vai monitorizar todos os eventuais efeitos secundários ocorridos na sequência da vaicna.

A vacina da Pfizer também já foi aprovada no Reino Unido e nos Estados Unidos, onde já está a ser administrada desde os dias 8 e 14 de dezembro, respetivamente. Esta é também a vacina com o processo de aprovação mais adiantado na União Europeia, onde se espera que a autorização seja dada a 23 de dezembro.

Portugal espera receber mais de 1,2 milhões de doses da vacina da Pfizer até ao final de março, com as primeiras a chegarem ainda este ano.

António Guimarães