Uma jovem de 17 anos foi assediada, no passado domingo, durante uma viagem de Uber no Rio Grande do Sul, região metropolitana de Porto Alegre, no Brasil.

De acordo com o jornal Estadão, a jovem ia para casa de uma amiga quando foi abordada pelo condutor, identificado como André. Ao perceber o teor da conversa, a rapariga começou a gravar a conversa, com a câmara virada para si, e partilhou-a depois das redes sociais.

No vídeo, é possível ouvir o motorista dizer que o facto da jovem ser menor de idade não seria um problema para namorar com ela e quando a rapariga rebate que ele tem idade para ser pai dela, o condutor responde que lhe "faria coisas que o pai não faria".

“Problema seria se tivesse 13 anos. E eu acho que não tem 13 anos... De 14 para cima já é responsável", diz o condutor.

A jovem tenta então terminar a conversa, dizendo que não tem interesse, e o motorista diz que só está a brincar.

“Estou só a brincar, eu não estou a dizer que deveria ter interesse”, atira. 

No final da viagem, a jovem denunciou o perfil do condutor na aplicação e fez queixa do homem na Esquadra da Mulher de Viamão, no Rio Grande do Sul, acompanhada pela mãe, que disse ter ficado "indignada e enjoada".

"Usamos sempre o Uber, porque lhe peço para não andar de autocarro com medo dos assaltos. Ela foi muito corajosa de ter publicado o vídeo nas redes sociais”, afirmou a mãe ao jornal.

Em entrevista à porta da esquadra, o motorista tentou justificar a conversa com a roupa que a jovem usava e pelo facto de ela sorrir.

"Ela estava sorrindo. Estava com uns calções do tipo Anitta, com uma mini blusa, com as pernas abertas no banco e chamando atenção", afirmou.

Ao ter conhecimento das declarações do motorista, a cantora usou o Twitter para se pronunciar sobre as declarações de que a roupa da jovem "chamava atenção".

"Nada justifica um assédio. A forma de se vestir, sentar, e falar não significa qualquer autorização ou pedido ou convite a ser assediada ou invadida, abusada, estuprada (violada). Quanto à menina estar usando um short (calção) 'tipo Anitta', para mim significa que ela é independente, não tem medo de ser quem ela quer e, acima de tudo, bem inteligente para denunciar e expor um assediador para que outras meninas não passem pelo mesmo que ela", escreveu a cantora.

O caso está a ser investigado pela Polícia Civil e a Uber já informou que a conta do condutor foi banida da plataforma.

/ AM