Foi detido o suspeito de ser o mandante do atentado contra o jornal Charlie Hebdo, ocorrido há quase quatro anos, em janeiro de 2015. A detenção aconteceu no domingo em Djibuti, um pequeno país do nordeste de África, segundo a agência France Presse, mas só esta quinta-feira foi tornada pública.

Trata-se do jihadista Peter Cherif, também conhecido pelo pseudónimo de Adbou Hamza, foi colocado sob custódia, segundo uma fonte ligada ao processo e citada pela AFP.

Peter Cherif é considerado suspeito de ser o mandante do atentado ao Charlie Hebdo e era próximo dos autores materiais do atentado, os irmãos Kouachi, que foram mortos pela polícia na sequência de uma perseguição policial.

A 7 de janeiro de 2015, os irmãos Chérif e Saïd Kouachi, armados com ‘kalashnikov’s, irromperam no edifício do jornal à hora da reunião da redação e mataram 12 pessoas, nomeadamente os caricaturistas históricos Cabu, Charb, Honoré, Tignous e Wolinski que são regularmente evocados numa redação “reconstruída e sólida”.