A chanceler alemã Angela Merkel quer estender as restrições à covid-19 na Alemanha até abril, segundo um documento do governo citado neste domingo pela agência noticiosa France Presse.

Para segunda-feira está prevista mais uma reunião com os chefes dos estados federais, onde será analisada a reposição de parte das medidas restritivas que foram sendo aliviadas nas últimas semanas, ao contrário de um possível alívio como estava previsto.

Em causa estão, por exemplo, as viagens ao estrangeiro que devem ser combinadas com quarentena e testes no regresso, mas também a manutenção do teletrabalho, para evitar "contactos dentro" dos edifícios, e "pelo menos dois testes rápidos por semana" para aqueles que se têm de deslocar ao local de trabalho.

A incidência acumulada de covid-19 na Alemanha nos últimos sete dias ultrapassou os 100 pela primeira vez em quase dois meses e situa-se hoje nos 103,9 novos casos por cada 100.000 habitantes, indicam os dados oficiais.

Nos últimos dias, a incidência tem estado a subir de forma significativa: 86,2 na quarta-feira, 90 (quinta), 95,6 (sexta) e 99,9 (sábado), face aos 79 casos por cada 100.000 habitantes no domingo passado e aos 65 de há duas semanas.

O pico da incidência foi registado a 22 de dezembro do ano passado (com 197,6) e a 28 de janeiro deste ano voltou a cair para menos de 100 pela primeira vez em três meses, com uma tendência de baixa, que acabaria revertida a partir de meados de fevereiro.

Segundo os dados do instituto Robert Koch (RKI), nos últimos sete dias, os novos casos de covid-19 na Alemanha somaram 86.372.

Nas últimas 24 horas, também segundo os números do RKI, a Alemanha contabilizou mais 13.733 novos contágios, quase três mil mais do que há precisamente uma semana, e 99 mortes, mais do que as 70 contabilizadas no domingo passado.

O máximo diário de novos casos foi alcançado a 18 de dezembro, com 33.777 infeções, e o de mortes a 14 de janeiro deste ano, com 1.244.

O fator semanal de transmissão (Rt) está agora em 1,22, o que significa que cada 100 infetados contagiam, em média, 122 pessoas.

Desde o início da pandemia, a Alemanha acumulou 2.659.516 contágios (2.415.200 já recuperados) e 74.664 mortes associadas à doença.

Na campanha de vacinação, a Alemanha já administrou as duas doses a 3.246.005 pessoas (3,9% da população) e pelo menos uma dose a 7.233.931 (8,7%).

Catarina Machado / com Lusa