O Reino Unido não quer os seus cidadãos a viajar pela Europa durante o verão devido à ameaça de importação de novas variantes do SARS-Cov-2, que possam colocar em risco o programa de vacinação.

Esta posição foi manifestada neste domingo pelo ministro da Defesa Ben Wallace, numa altura em que vários países registam aumento de casos e outros, como a França, voltaram a confinar.

Não podemos ser surdos e cegos sobre o que se passa fora do Reino Unido. Se olharmos para a Europa, as infeções estão a aumentar", afirmou o governante, neste domingo, depois de questionado pela Sky News sobre a possibilidade dos britânicos saírem do país durante o verão.

Ben Wallace assumiu que é preciso evitar "a todo o custo" a importação de variantes resistentes às vacinas contra a covid-19, preservando os "ganhos" do "bem sucedido" programa de vacinação, que, até sexta-feira, chegou a metade dos adultos do Reino Unido.

Se decidíssemos ser imprudentes e importássemos novas variantes, o que diriam as pessoas? Temos boas indicações para viajar, estamos a tentar chegar lá, mas temos de ter certezas a todo o custo", disse o ministro, referindo-se ao programa de vacinação.

Segundo o plano de desconfinamento apresentado pelo governo britânico, as viagens ao estrangeiro, que neste momento estão proibidas, podem ser autorizadas a partir de 17 de maio, se tudo correr como o previsto, mas é provável que este prazo seja adiado.

Foi designada uma taskforce para avaliar o impacto das viagens, que deverá apresentar as suas conclusões em abril.

"Eu ainda não reservei as minhas férias. Seria prematuro fazê-lo", disse, ainda, Ben Wallace, desta feita em entrevista à BBC.

Catarina Machado