Um tigre-de-sumatra macho , de sete anos de idade, atacou a sua tratadora, no zoológico de Topeka, no estado norte-americano do Kansas, numa altura em que se encontravam também visitantes no local. 

"[A tratadora sofreu] lacerações e perfurações na parte de trás da cabeça, pescoço, costas e num braço", indicou o diretor do zoo, Brendan Wiley, aos jornalistas, no fim de semana. Foi transportada para o hospital e estava consciente.

É suposto que estes profissionais não estejam, nunca, no mesmo espaço que os tigres, sem barreiras de proteção, mas não foi o que aconteceu neste caso. A mulher estava junto ao animal, ao ar livre. 

"Algum tipo de erro ocorreu aqui", admitiu o diretor do zoo. O caso está, por isso, a ser investigado.

O responsável confirmou que vários visitantes testemunharam o ataque

"É o tigre mais doce que já conheci"

O zoológico de Topeka tem dois tigres-de-sumatra adultos: Jingga, uma fêmea, que em outubrodeu à luz quatro crias (três machos e uma fêmea) e o macho Sanjiv - o que atacou a mulher -, que ali vive desde agosto de 2017. É este o tigre:

Uma das funcionárias, Shanna Simpson, supervisora ​​de cuidados com animais, disse ao Topeka Capital-Journal que Sanjiv "é o tigre mais doce" que já conheceu. Nada vai acontecer ao animal, que está em perigo de extinção. 

Tratadora ainda no hospital

A mulher está a recuperar no hospital. À CNN, o diretor do zoo disse esta segunda-feira que a mulher "saiu dos cuidados intensivos ao final da tarde de ontem". Ainda não há previsões de alta. 

É a principal tratadora deste zoo, tem uma experiência profissional de vários anos, e entre as suas funções estão limpar e fazer a manutenção do recinto.

Embora as autoridades tenham sido logo alertadas para o incidente, os funcionários do zoo já tinham conseguido tirar o tigre do local, quando as equipas de socorro chegaram

Nesta página de YouTube é possível assistir em direto ao espaço onde vivem os tigres no zoo de Topeka:

Apenas 400 tigres de Sumatra, nativos da Indonésia, vivem no seu habitat natural, na selva, de acordo com o World Wildlife Fund, uma organização não governamental internacional que atua nas áreas da conservação, investigação e recuperação ambiental.