Se tem medo de andar de avião, na próxima viagem que fizer talvez seja melhor certificar-se que compra bilhetes para as últimas filas. Segundo uma companhia aérea holandesa, os lugares da traseira das aeronaves são os mais seguros em caso de acidente.

A informação foi divulgada pelo Twitter da companhia KLM sedeada na Índia, em resposta a uma pergunta de cultura geral, de acordo com o Washington Post. A KLM baseou esta afirmação num estudo da revista TIME, em 2015, que aponta que o índice de mortandade em caso de acidente é menor nas filas das traseiras (32%), a comparar com as filas do meio (39%) e da frente (38%).

Contudo, o tweet da companhia tornou-se tão polémico que foi apagado 12 horas depois de ser publicado e foi substituído por um pedido público de desculpas.

A KLM escreveu no Twitter que a publicação “foi baseada em factos sobre aviação conhecidos publicamente, não sendo uma opinião da @KLM”.

 

A razão da polémica prende-se com os próprios dados analisados para o estudo. É que a investigação retirou as suas conclusões da análise de apenas 17 acidentes, ocorridos entre 1985 e 2000. E como os acidentes de avião são raros, não existe muita informação para estudar.

Para além disto, a companhia aérea esqueceu-se de mencionar outro pormenor da investigação da revista TIME: o estudo apurou que “em muitos acidentes a percentagem de sobrevivência [em relação aos lugares] foi totalmente aleatória – muitos os sobreviventes estavam espalhados irregularmente entre as vítimas mortais”. Também no estudo está escrito que “é por esta razão que a FAA e outras companhias especializadas em segurança dizem que não existem lugares mais seguros do que outros nos aviões”.

Outro dado importante, facultado pelos especialistas, prende-se também com a falta de racionalidade do medo de andar de avião, uma vez que as probabilidades de morrer num acidente são de 1 em 11 milhões, enquanto que as possibilidades de perder a vida num acidente de carro são de 1 em 5 mil.