O Conselho de Direitos Humanos da ONU deve criar uma comissão de inquérito para investigar as "graves violações de direitos humanos na Venezuela", defendeu hoje a organização não-governamental (ONG) Human Rights Watch (HRW).

A posição da HRW parte de um documento conjunto elaborado por 11 ONG de direitos humanos venezuelanas e internacionais que têm monitorizado e documentado há anos as crescentes violações nesta área e a emergência humanitária na Venezuela.

A alta comissária da ONU para os direitos humanos, Michelle Bachelet, tem agendada uma apresentação atualizada sobre a situação dos direitos humanos na Venezuela no Conselho de Direitos Humanos da ONU em 10 de setembro", recordou a HRW em comunicado.

Uma apresentação que surge depois de "um relatório condenatório publicado (...) em julho" e que "é a etapa final determinada pela resolução do conselho sobre a Venezuela, a primeira adotada em setembro de 2018", sublinhou a ONG.

As vítimas da terrível crise de direitos humanos e humanitária na Venezuela merecem uma resposta completa e autoritária do Conselho de Direitos Humanos”, sustentou o diretor da HRW para a América, José Miguel Vivanco.

O Conselho de Direitos Humanos tem a oportunidade e a responsabilidade de criar um mecanismo para investigar violações graves na Venezuela e identificar os responsáveis e, quando possível, a cadeia de comando”, pode ler-se na mesma nota na qual se defende a quebra do "ciclo de impunidade".

O anterior relatório da agência liderada por Bachelet documentou abusos que são consistentes com as conclusões de organizações internacionais de direitos humanos venezuelanas e internacionais, e destacou a necessidade de prestação de contas", assinalou a HRW.

Os abusos incluem prisões arbitrárias, tortura, execuções extrajudiciais e violações aos direitos à alimentação e à saúde", concretizou a ONG.