Morreu um dos feridos provocados pelo ataque desta quarta-feira, na ponte de Westminster, em Londres, que se encontrava no hospital. Trata-se de um homem de 75 anos.

Número de mortos aumenta para cinco, incluindo o atacante. O atentado deixou, ainda, perto de 30 pessoas feridas.

Ao início da tarde desta quarta-feira, um carro atravessou a ponte de Westminster, em Londres, e abalroou várias pessoas. Parou junto ao parlamento britânico, tendo o suspeito esfaqueado um polícia junto ao edifício. O homem foi atingido a tiro pelas autoridades.

Veja também: os rostos das vítimas do ataque de Londres

O suspeito foi identificado pela polícia londrina já esta quinta-feira. Khalid Masood, de 52 anos, nasceu em Kent, Inglaterra, e usava vários nomes falsos. As autoridades acreditam que, nos últimos tempos, residia na região de West Midlands. 

De acordo com a polícia, Masood não estava a ser investigado por suspeitas de ligações a atos terroristas. No entanto, era conhecido da polícia e chegou a ser condenado por vários crimes, incluindo o crime de lesões corporais graves, posse de armas e ofensas à ordem pública.

Esta quinta-feira, a polícia deteve oito pessoas em Birmingham e Londres, suspeitos de estarem a preparar ataques terroristas, incluindo a companheira de Khalid Masood.

A polícia inglesa continua a acreditar, no entanto, que Masood atuou sozinho.

Os oito detidos são cinco mulheres e três homens, a maioria jovens, com idades entre os 21 e os 28 anos. Apenas uma mulher - a companheira de Masood, a única detida em Londres - e um homem têm 39 e 58 anos, respetivamente. 

Apesar de terem sido detidos em Birmingham, não foram levados em conjunto. Não foi esclarecida a relação entre eles, se é que existe alguma.