Os benefícios da vacina contra a covid-19 da farmacêutica AstraZeneca "superam os riscos em adultos de todas as idades", apesar de casos "raros" de cóagulos sanguíneos em pessoas vacinadas, recomendou a Agência Europeia do Medicamento (EMA), esta sexta-feira.

A nossa conclusão é de que os benefícios da vacinação aumentam nas idades mais avançadas e face ao aumento das taxas de infeção" de SARS-CoV-2, afirmou Noël Wathion, o diretor executivo-adjunto da EMA. 

EMA recomenda que, quem tomou a primeira dose da Astrazeneca, deve tomar a segunda, entre 4 a 12 semanas depois, descartando a hipótese de se mudar para outra vacina na segunda dose.

Recorde-se que em Portugal, o fármaco da AstraZeneca é administrado apenas aos maiores de 60 anos. Esta posição do regulador europeu abre, assim, caminho a que os Estados-membros possam alargar a vacinação a menores de 60 anos. 

O anúncio da EMA surge um dia depois da Comissão Europeia ter ameaçado processar a farmacêutica devido a atrasos nas entregas de doses e incumprimento do contrato com a UE.

Atualmente, estão aprovadas quatro vacinas na UE: Comirnaty (nome comercial da vacina Pfizer/BioNTech), Moderna, Vaxzevria e Janssen (grupo Johnson & Johnson).

O uso da vacina da AstraZeneca foi restringido na maioria dos países da UE devido a casos raros de trombose relacionados com a sua aplicação, sendo as suas doses administradas apenas a pessoas com mais de 50, 55 ou 60 anos, conforme os países.

Rafaela Laja