Todas as 22 vítimas mortais do atentado de Manchester foram identificadas pela polícia britânica. No entanto, apenas 10 identidades foram publicamente divulgadas pelas famílias ou amigos.

Dois dias depois do ataque, é confirmada a morte de Jane Tweddle-Taylor, de 51 anos.

A mulher estava nas imediações do Arena de Manchester à espera dos filhos de uma amiga, que sobreviveram. Jane era rececionista na South Shore Academy School e é recordada como sendo " amiga e colega verdadeira".

Martyn Hett, de 29 anos, foi identificado como outra das vítimas do ataque de segunda-feira à noite.

A embaixada da Polónia em Londres confirmou na terça-feira que um casal polaco, Angelika e Marcin Klis, de 40 e 42 anos, estavam à espera das filhas à porta da Arena quando o bombista se fez explodir. As filhas sobreviveram, os pais morreram.

Entretanto também foram confirmadas pelas respetivas famílias as mortes de Olivia Campbell, de 15 anos, e Kelly Brewster, de 32 anos.

A mãe de Olivia, Charlotte Campbell, escreveu no Facebook: “Vai cantar com os anjos e continua a sorrir. A mãe ama-te muito.”

Kelly Brewster tinha ido ao concerto com a irmã Claire e a sobrinha, Hollie Booth. As duas últimas ficaram feridas e ainda estão internadas.

Duas amigas e mães, Alison Howe e Lisa Lees, também morreram quando esperavam fora da Arena pelas filhas de 15 anos que estavam no concerto e que sobreviveram. A notícia foi dada por familiares nas redes sociais.

Alison Howe e Lisa Lees (Foto: Facebook)

John Atkinson, 26 anos, de Radcliffe, foi identificado pela polícia como vítima mortal do ataque.

Também já tinham sido identificadas como vítimas mortais Georgina Callander, de 18 anos, e Saffie Rose Roussos, de oito. 

Georgina foi a primeira vítima mortal a ser identificada e era uma grande fã de Ariana Grande. No domingo, tinha voltado a publicar no Twitter uma fotografia que tinha tirado com a cantora há dois anos, dizendo que estava “muito entusiasmada” pela aproximação do concerto em Manchester.

 

 

LOOK HOW CUte SHE IS I CANT BELIEVE THIS HAPPENED I

Uma publicação partilhada por georgina 🥀 (@georgina.bethany) a

 

Depois de seis anos à espera, finalmente pude conhecer-te, minha querida. Estou tão feliz. Vénias ao melhor concerto da minha vida!”, escreveu Georgina, na primeira vez que publicou a fotografia com a cantora.

Georgina está a ser recordada por familiares e amigos nas redes sociais. Falam de uma “menina doce”, com “o coração e a alma mais generosos”, que “nunca será esquecida”.

Saffie Rose Roussos foi a segunda e mais jovem vítima do atentado de Manchester a ser identificada até ao momento. Tinha oito anos e estava a sair do concerto de Ariana Grande com a mãe, Lisa Roussos, e a irmã, Ashlee Bromwich, quando foram surpreendidas pela explosão no exterior do Manchester Arena.

 

A mãe e a irmã foram já localizadas e estão internadas em dois hospitais diferentes da região, livres de perigo. Saffie foi procurada durante toda a noite e manhã e a sua fotografia amplamente divulgada nas redes sociais. Até que chegou a pior das notícias: Saffie está entre as 22 vítimas mortais confirmadas até agora.

A polícia britânica só vai confirmar as identidades dos mortos depois de concluídas todas as autópsia. Dado o número de vítimas, isso pode levar quatro a cinco dias.

Todas as famílias foram contactadas e estão a receber apoio de técnicos especializados.

Ariana Grande é o ídolo de muitas crianças e adolescentes e a maioria do público era, por isso, muito jovem, conforme se pode verificar nas imagens do local que foram partilhadas nas redes sociais. De resto, a polícia confirmou que há várias crianças entre as vítimas. 

O Estado Islâmico revindicou o ataque que ocorreu esta segunda-feira no final de um concerto de Ariana Grande, na arena de Manchester. Segundo o último balanço oficial, divulgado esta terça-feira pela polícia, a explosão provocou 22 mortos e 59 feridos.

O atentado foi realizado por um bombista suicida já depois de a cantora norte-americana ter terminado o espectáculo e abandonado o palco. Eram cerca de 22:30.

Esta terça-feira, as autoridades detiveram um homem de 23 anos por suspeitas de ligação ao atentado, no sul de Manchester. Isto mesmo foi confirmado pela polícia britânica.

Uma informação que surgiu depois de Theresa May ter anunciado que a polícia já conhece a identidade do alegado bombista que se fez explodir na arena. Numa declaração ao país, a primeira-ministra britânica não revelou o nome do atacante, acrescentando que as autoridades estão a investigar a possibilidade de haver mais envolvidos.