As autoridades cambojanas elevaram o número de mortos para 17 e registaram 24 feridos, na sequência do desmoronamento, no sábado, de um prédio de sete andares na cidade costeira de Sihanoukville, sul do Camboja.

O anterior balanço apontava para 15 mortos.

As autoridades cambojanas disseram que quatro cidadãos chineses envolvidos na construção foram detidos enquanto a investigação sobre o desabamento é realizada.

Em comunicado, o governo da província cambojana explicou que cerca de mil soldados participam nas operações à ainda procuram breviventes nos escombros.

Até às 08:00 (01:00 em Lisboa), as equipas de resgate retiraram 40% dos destroços, desconhecendo-se ainda o número de pessoas presas nos escombros.

Um dos moradores do prédio disse à AP que ele e a sua mulher estavam a dormir quando por volta das 04:00 de sábado quando ouviram um grande barulho e o prédio começou a desmoronar por cima deles.

Segundo este morador encontravam-no dentro do prédio cerca de 55 pessoas.

O primeiro-ministro cambojano, Hun Sen, descreveu o acidente através das redes sociais como uma "dolorosa tragédia" para a nação.