Os 193 Estados-membros da ONU alcançaram um acordo para manter o orçamento anual global das 15 operações de manutenção da paz em curso no mundo, na ordem dos 6,5 mil milhões de dólares, indicaram hoje fontes diplomáticas.

Este orçamento anual, de cerca de 5,7 mil milhões de euros (após a conversão), estará em vigor entre 01 de julho do ano corrente e 30 de junho de 2021.

O acordo foi alcançado na noite de segunda para terça-feira, referiam as mesmas fontes.

Devido à atual pandemia da doença covid-19, que provocou custos adicionais (equipamento médico e de proteção individual) mas também cortes nas despesas (menos viagens, menos rotatividade de elementos), foi decidido manter a “flexibilidade” nos orçamentos atribuídos às várias missões de paz para permitir uma melhor adaptação possível ao novo coronavírus, explicou, em declarações à agência France Presse (AFP), uma fonte diplomática, que falou sob a condição de anonimato.

Após um pedido de fundos feito pelo secretário-geral da ONU, António Guterres, em março passado, o organismo que controla as despesas da organização internacional recomendou uma redução de cerca de 33 milhões de dólares (cerca de 29 milhões de euros) no orçamento.

Posteriormente, os países-membros acabariam por acrescentar uma nova redução no orçamento, na ordem dos 44 milhões de dólares (38,8 milhões de euros).

No total, o corte global iria rondar os 77 milhões de dólares (quase 68 milhões de euros) face ao valor solicitado por António Guterres, indicaram as mesmas fontes.

No início das negociações, a Rússia chegou a defender cortes na ordem dos 200 milhões de dólares (cerca de 176 milhões de euros), mas acabou por recuar e alinhar com a posição da China, que pediu apenas uma redução de algumas dezenas de milhões de dólares, de acordo com as fontes diplomáticas.

Os Estados Unidos, o maior país contribuinte com uma fatia de 25% do orçamento total, mostraram-se “desde o início menos duros face a anos anteriores”, insistindo na melhoria dos critérios de desempenho exigidos às missões de paz e no desenvolvimento da luta contra os abusos, referiu a fonte diplomática.

No fim das negociações, o acordo foi alcançado, segundo frisou outro diplomata, que também falou à AFP sob a condição de anonimato.

As operações de manutenção da paz da ONU com mais peso atual são aquelas que estão em curso no Sudão do Sul, na República Democrática do Congo, no Mali e na República Centro-Africana.

Estas missões representam (ou mesmo excedem) os mil milhões de dólares por ano (cerca de 882 milhões de euros).

O orçamento para as operações de paz é independente do orçamento operacional da ONU (3,07 mil milhões de dólares, mais de 2,7 mil milhões de euros) que se estende entre janeiro e dezembro.

/ BC