O ministro dos Assuntos Exteriores de Espanha, Josep Borrel, avisou hoje que Espanha não apoiará uma intervenção militar estrangeira na Venezuela e assegurou que nem todas as soluções sobre a mesa ajudam a encontrar uma saída para esta crise.

Nem todas as soluções estão sobre a mesa. Temos dito claramente que não apoiaremos e condenaremos firmemente qualquer intervenção militar estrangeira, que esperamos que não venha a acontecer”, referiu o governante à entrada para aa cimeira entre a União Europeia e a Liga Árabe, que hoje arrancou no Egito.

Citado pela agência Efe, o ministro precisou que a solução para a Venezuela tem de resultar de uma solução democrática, que envolva o povo venezuelano, e da realização de eleições presidenciais.

Acrescentou que é neste sentido que "Espanha tem procurado encontrar uma posição comum" junto dos parceiros europeus.

Numa entrevista à emissora France 24, emitida a 11 de fevereiro, o ministro das Relações Exteriores de Espanha já se tinha pronunciado contra uma intervenção militar dos Estados Unidos da América na Venezuela, acentuando que esta não é a solução para a crise política que o país enfrenta.

Veja também: Venezuela: Europa condena uso de violência na entrada de ajuda humanitária