O número de mortos por Covid-19 em Itália subiu para 25.969, mais 420 óbitos que no dia anterior, anunciou a proteção civil, no balanço desta sexta-feira, ainda assim o valor mais baixo desde 19 de março.

Nas últimas 24 horas verificam-se, ainda, mais 3.021 novos casos de infeção, elevando o total para 192.994, desde que começou o surto.

No entanto, os casos ativos baixaram pelo quinto dia consecutivo e são agora 106.527, menos 321 que na quinta-feira.

Continuam hospitalizados 22.068 doentes, mas há cada vez menos internamentos nos cuidados intensivos, com o número a baixar para 2.173, menos 94 que na quinta-feira.

82.286 doentes, ou seja 77% dos casos ativos, recuperam em casa.

As boas notícias prosseguem ao nível dos pacientes recuperados da doença, com uma média diária próxima dos 3.000 nos últimos dias. São agora mais de 60.000 as recuperações (mais 2.922 para 60.498).

A Lombardia, no norte do país, continua a ser a região mais afetada pela pandemia, tendo sido detetados quase 1.100 novos casos nas últimas 24 horas.

O presidente do Instituto Superior de Saúde, Sílvio Brusaferro, destacou hoje que a pandemia está a diminuir de intensidade “um pouco por todo o país”, o que considerou “muito positivo”, mas alertou para “não se baixar a guarda”.

O governo italiano está a estudar a reabertura gradual do país a partir de 4 de maio e um dos pontos em causa é como gerir os transportes públicos para evitar aglomerações de pessoas e que esses espaços se convertam em focos de contágio.

Itália é o segundo país com mais mortes por Covid-19, a seguir aos Estados Unidos, e o terceiro com mais infetados, a seguir a EUA e Espanha.


 

Catarina Machado