Uma estátua de Cristóvão Colombo no Grant Park, em Chicago, nos Estados Unidos (EUA), foi derrubada esta madrugada, uma semana depois de manifestantes que tentavam a remoção do monumento ao explorador terem entrado em confrontos com a polícia.

As equipas usaram uma grua para remover a estátua do pedestal, enquanto uma pequena multidão se reunia para assistir. A multidão aplaudiu e os carros que passavam buzinaram quando a mesma foi retirada, por volta das 03:00 locais (09:00, em Lisboa).

Os planos para remover a estátua foram divulgados pela primeira vez na quinta-feira à noite, pelo jornal Chicago Tribune, depois de várias horas de discussões verbais acesas entre os apoiantes e opositores da mesma.

A 17 de julho, os manifestantes entraram em confrontos com a polícia, que usou bastões para bater nas pessoas e fez detenções depois de dizerem que os protestantes os tinham atacado com fogo de artificio, pedras e outros itens.

“Esta estátua vai ser retirada devido ao esforço dos ativistas negros e indígenas que conhecem a verdadeira história de Colombo e o que ele representa”, afirmou Stefan Cuevas-Caizaguano, um residente que assistia no local, ao Chicago Tribune.

A remoção ocorre ao mesmo tempo que o Presidente norte-americano, Donald Trump, planeava enviar agentes federais para a cidade para responder à violência armada, provocando preocupações de que essa medida possa impedir os cidadãos de realizarem mais manifestações.

Vários grupos ativistas entraram com uma ação em tribunal, na quinta-feira, tentando bloquear os agentes que combatem crimes graves de interferirem ou policiarem os protestos.

Manifestantes em todo o país pediram a remoção das estátuas de Cristóvão Colombo, afirmando que o explorador é responsável pelo genocídio e exploração de povos indígenas nas Américas.

O monumento a Colombo no Grant Park e uma outra no bairro de Little Italy, em Chicago, foram vandalizadas no mês passado, enquanto noutras cidades dos EUA as estátuas do explorador foram vandalizadas ou derrubadas.

/ AM