As autoridades chinesas ordenaram revisões a todas as fábricas químicas do país na sequência da explosão registada na quinta-feira passada na província de Jiangsu, cujo número de mortos foi esta segunda-feira atualizado para 78.

O anúncio foi feito hoje pelo Comité de Segurança do Trabalho do Conselho de Estado e determina uma avaliação de riscos em todos os parques da indústria química do país para eliminar eventuais riscos de segurança.

A ideia, explicaram as autoridades, é reforçar o controlo e a gestão dos produtos químicos perigosos.

As autoridades de todos os níveis devem inspecionar as empresas que participam no fabrico e armazenamento de nitração para se assegurarem de que são cumpridas as regras relativas a substâncias químicas perigosas”, referiu um responsável do organismo.

A decisão surge quatro dias depois de uma explosão num parque industrial em Yancheng, província de Jiangsu (este do país) que causou, de acordo com o balanço apresentado hoje pelas autoridades chinesas, 78 mortos, depois de terem sido encontrados 14 corpos nas últimas horas, e pelo menos 600 feridos.

As causas da explosão estão ainda a ser analisadas, tendo sido já determinado que este foi um dos 10 acidentes industriais mais graves do país.

Um total de 566 pessoas estão ainda hospitalizadas, das quais 66 gravemente feridas e 13 em situação de urgência, segundo anunciou o presidente do município, Cao Lubao, em conferência de imprensa.

Acidentes industriais são frequentes na China, onde, em média, morrem 70.000 trabalhadores por ano, segundo a Organização Mundial do Trabalho.