Um ataque com faca em Paris, França, fez esta sexta-feira dois feridos. A Agência France-Press chegou a avançar quatro feridos, mas a informação foi corrigida.

Sabe-se que os dois feridos estão em estado grave, mas não correm perigo de vida.

O ataque ocorreu na rua Richard Lenoir, próxima dos antigos escritórios do jornal satírico Charlie Hebdo.

Um suspeito, um homem com vestígios de sangue, foi detido junto ao Metro da Praça da Bastilha. Entretanto, foi detido um segundo suspeito.

Entretanto, o ministro francês do Interior, Gérald Darmanin, confirmou estas informações, em declarações à imprensa.

O autor principal está detido e um segundo indivíduo foi também detido”, disse Gérald Darmanin à imprensa no local.

Relativamente ao segundo detido, o ministro precisou que a polícia está a “verificar a sua relação com o autor principal”.

Desconhecem-se para já as circunstâncias do ataque.

O primeiro-ministro francês, Jean Castex, informou no Twitter que o Ministério do Interior criou uma unidade de crise para lidar com o incidente.

A Procuradoria antiterrorismo de França assumiu a investigação ao ataque e abriu um inquérito por “tentativa de homicídio relacionado com ato terrorista e organização terrorista criminosa”.

A antiga redação do jornal foi alvo, a 7 de janeiro de 2015, de um ataque ‘jihadista’ que fez 12 mortos e cinco feridos graves.

O julgamento dos presumíveis cúmplices desse e de outros ataques ‘jihadistas’ em Paris está a decorrer, desde o início de setembro, na capital francesa.

O Charlie Hebdo mudou as suas instalações depois do ataque de 2015.

Sofia Santana / atualizada às 15:04