Pelo menos 100 pessoas morreram na sequência de inundações repentinas provocadas por chuvas noturnas intensas na cidade de Charikar, no Afeganistão, segundo um novo balanço do governo afegão.

Um anterior balanço apontava para 72 vítimas mortais.

As inundações começaram por volta das 03:00 (23:30 de terça-feira em Lisboa), e atingiram sobretudo a capital da província de Parwan, no norte do Afeganistão, disse à agência de notícias Efe o porta-voz adjunto do governador daquela região, Rahmatullah Haidari.

O porta-voz teme que o número de vítimas suba, à medida que prosseguem as operações de salvamento.

"As equipas de salvamento têm trabalhado muito para encontrar e remover os corpos debaixo dos escombros, e o número de baixas pode aumentar nas próximas horas", antecipou.

Haidari disse que os danos materiais são "muito elevados", com "centenas de casas" danificadas ou destruídas, acrescentando que as autoridades estão a trabalhar para "limpar e abrir as estradas" o mais rapidamente possível, para que a ajuda chegue às vítimas.

Entre os mortos contavam-se muitas crianças, indicou o executivo num primeiro balanço, segundo a agência de notícias France-Presse (AFP). Pelo menos 500 casas terão sido destruídas com a força da água e da lama.

As cheias são comuns no país, especialmente em zonas rurais pobres, onde as casas, frágeis, não resistem às chuvas intensas.

Pelo menos 15 crianças e uma mulher morreram numa inundação repentina há várias semanas, numa aldeia na província de Nangarhar.

/ AM/ ATUALIZADO ÀS 15:39